*mais sobre mim

*Junho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

*posts recentes

* Acordar o blog adormecido...

* Hot Hot Hot

* ...

* A Sombra do Vento

* Há coisas que nunca mudam...

* Porque é que os jogadores...

* Como ser um verdadeiro ch...

* Novo morador

* Gata preta, gato branco

* Blogodependente

*arquivos

* Junho 2010

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Janeiro 2007

* Dezembro 2006

* Novembro 2006

* Outubro 2006

*tags

* todas as tags

*pesquisar

 
blogs SAPO

*subscrever feeds

Terça-feira, 20 de Março de 2007

Dia do Pai

Tal como o post do Dia da Mulher, este post sobre o Dia do Pai chega um dia atrasado. Queria te-lo escrito ontem mas não deu. Outras prioridades falaram mais alto...

Dia do Pai! Um dia como outro qualquer, só que dedicado à figura masculina que nos acompanha desde que nos conhecemos como alguém: o Pai. Neste dia, os filhos esforçam-se por ser mais atenciosos com os pais, por dizer-lhe o quanto gostam de os ter perto e demonstram isso com um postal e uma prenda.

Postal não dei, mas ofereci uma caneta de mandeira ao meu Pai a dizer "És um Super Pai!" que é para ele fazer as "titas" (escritas) dele. A inauguração da caneta foi a assinar o cheque do meu abono. Começou bem! :)

Acho que é importante haver um dia dedicado ao Pai, mas também acho que esse dia só faz sentido se nos outros 364 dias o carinho demonstrado seja igual. Não é só um dia por ano que devemos demonstrar os nossos afectos, mas sim o ano todo, principalmente quando o nosso Pai é o melhor Pai do Mundo, faz tudo para nos ver felizes e trabalha muito para nos dar uma vida em condições.

Eu e o meu Pai somos muito parecidos: introvertidos e calados nos primeiros contactos com pessoas que não conhecemos; muito calmos (o que faz a minha Mãe ir aos arames quando está com pressa para sair de casa); e pacíficos, o mal não vem ao mundo por nossa causa. Por sermos assim tão parecidos, eu e o meu Pai, muitas vezes, chocamos sobre certas coisas. Detesto quando lhe peço algo e ele me diz "Não porque não" ou "É assim porque sim". E ele tem degosto de eu não ser um menina prendada em casa, apesar de ele se lamber todo com as minhas maças assadas e com os meus familiarmente famosos bolos de yogurte e de chocolate. É o que eu digo, posso não saber fazer muita coisa, mas quando faço, tento fazer o melhor possível.

Tirando estes pequenos atritos, o meu Pai é um espectaculo! Desde que tenho carta de condução ele tem sido impecável comigo. Confia plenamente em mim. Não tem qualquer problema em passar-me um carro para mão, tanto a conduzir em sitios mais movimentados e que não conheço, como a fazer viagens grandes. Confia mais em mim que a minha Mãe que quando ve o conta quilometos a subir diz "Eu digo-te Ana Marisa!! É pequenina, mas tem o pé pesado"

Gosto muito de ti Paizito!

publicado por Marisa às 13:23
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 14 de Março de 2007

Frase do momento

Fica aqui uma frase do Fernado Pessoa, um grande português, que descobri à pouco tempo. Mal a li fiquei apaixonada por ela....acho que exprime um pouco do que tenho sentido nos últimos tempos: baralhada, sem saber o que fazer e, às vezes, o que dizer...

"Se eu pudesse dizer
O que nunca te direi
Tu terias que entender
Aquilo que nem eu sei"
Fernando Pessoa

publicado por Marisa às 22:19
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Palavras caras

Estava eu no meu estágio, a folhear um livro da faculdade de uma cadeira que tive no 3º ano, à procura de algo que me pudesse ajudar no meu trabalho, quando na página 191 descobri algo que me apeteceu partilhar com a minha meia dúzia de leitores assíduos.

No 3º ano da faculdade tive uma cadeira um pouco dificil. A matéria era muito teórica, cheia de autores, teorias e metáforas. Era suportada por 2 livros bem grandes, um em cada semestre, e, a maioiria das aulas, era dada por um professor novo. Novo naquelas andanças de dar aulas e novo em idade.

Como qualquer profissional em inicio de carreira, notava-se que  o professor tinha uma enorme preocupação por desempenhar bem a sua função: aulas em power point, preocupação em saber o nome dos alunos e em ouvir a sua opinião, roupa aprumadinha e, a parte que nos chamou mais à atenção, palavras caras!!

Numa aula do 2º semestre, daquelas em que se olha para o relógio de 5 em 5 minutos mas o ponteiro não sai do mesmo sítio, eu e uma amiga minha decidimos fazer uma especie de levantamento de palavras caras dele, que eu escrevi na página do livro referente à matéria daquela aula.

As palavras são:

*concubinância

*exiquivel

*basilar

*em suma

*honestamente

*convenhamos

*almejar

*adentro

*efectivamente

*complexo

*hecatombe

O "basilar" foi a palavra que o marcou mais, pois foi a primeira!! No inicio do ano lectivo, para acentuar a importância da matéria, ele dizia muitas vezes "é BA-SI-LAR!!". Quando a minha turma começou a rir de cada vez que a dizia, ele deixou de a dizer...

O "hecatombe" nunca ouvi. Mas ele pronunciou-a num dia importante e de sermão: na aula a seguir à frequência, em que metade da turma ou um número semelhante desistiu da frequência. Parece que ele considerou a desistência como uma hecatombe...eu chamaria apenas desistência em massa!

O "honestamente" e o "convenhamos" foram as palavras mais usadas por ele durante o ano inteiro. Eu, por acaso, gostava de as ouvir, porque ele fazia sempre uma cara sexy...

Pois...tirando a parte da matéria ser um pouco cansativa e de ele estar sempre a dizer palavras muito caras, o professor era muito giro....

Convenhamos, eu chumbei a essa cadeira, o que foi uma hecatombe para os meus pais, não por a matéria ser muito extensa e dificil, mas porque, honestamente, eu queria continuar adentro das aulas dele para o ver! E, no fundo, foi ba-si-lar ter chumbado para conseguir ter uma boa nota...

publicado por Marisa às 13:28
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Sexta-feira, 9 de Março de 2007

Dia da Mulher

Sei que o meu post sobre o Dia da Mulher já vem com um dia de atraso, mas não pude escrever antes pois estive ocupada com coisas "anexas" ao meu estágio.

Já que não posso comemorar o Dia Mundial da Criança, porque já sou maior de idade; o Dia dos Namorados, porque não tenho o respectivo apêndice; comemoro o Dia da Mulher, pois, felizmente, tenho o prazer de pertencer a esse género.

É importante haver um dia dedicado à mulher, já que durante muitos anos foi um pouco esquecida, posta de parte, como se fosse um ser menor...muito pelo contrário. Não sendo feminista, mas sendo um bocadinho, acho que as mulheres têm muitas responsablidades e qualidades para até serem consideradas o sexo forte...

É bonito neste dia verem-se os homens preocupados em desejar um dia feliz às mulheres à sua volta e certas pessoas a distribuirem flores às mulheres em locais estratatégicos (eu também queria, mas não me deram!!!), mas o importante é ler o significado do Dia da Mulher nas entrelinhas...as mulheres são muito especiais, especiais demais só para serem lembradas neste dia...Não é só o dia 8 de Março que é Dia da Mulher, são também os restantes 364 dias...

Aqui fica uma frase lamechas, mas bonita, que mandaram uma vez por e-mail:

"Cuida-te quando fazes chorar uma mulher, pois Deus conta as lágrimas. A mulher foi feita da costela do homem e não dos pés para ser espezinhada, nem da cabeça para ser superior... Mas sim do lado, para ser IGUAL... Debaixo do braço para ser PROTEGIDA... E do lado do coração para ser AMADA"

Feliz Dia da Mulher para todas as mulheres, principalmente para as minhas gajas!

publicado por Marisa às 20:58
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 7 de Março de 2007

Saudadinhas....

7 de Março!

Faz hoje 13 anos que a minha avó morreu.

Na altura, com 9 anos e ao contrário do que aconteceu com a morte do meu avô, senti muito a morte dela. Ficou doente num dia e dois meses depois partiu com uma doença que apareceu sem pedir licença...

Em certos momentos  penso em como a vida, por vezes, é injusta! Só tinha 9 anos quando fiquei sem a minha "Avoipa", era tão pequenina e fiquei logo sem uma das pessoas que desde sempre fez parte da minha vida. Fiquei sem poder ouvir ela a chamar-me "Isa" e sem comer os lanches que ela me preparava: um caneca de leite e uma carcaça com manteiga partida ao meio, uma metade ela chamava de pomba e outra de porta-moedas. Pequenas coisas, pequenos miminhos que fazem parte das minhas memórias e das quais sinto falta...

Resta-me a convicção que ela, onde está, está bem, junta com o meu avô e a tomar conta da descendência...

publicado por Marisa às 09:21
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 2 de Março de 2007

Elevador, o trauma ultrapassado (ou não...)

Vou contar uma história.

Era uma vez uma menina chamada Marisa, que morava em Queluz e contava com 3 ou 4 anos de existência. Ela vivia feliz, sem preocupações e sem traumas!

Um belo dia, a Mãe da Marisa levantou-a cedo da cama e levou-a até ao Centro de Saúde de Queluz para irem ao médico. O Centro de Saúde de Queluz era um prédio, não muito recente e que tinha um elevador que ajudava as pessoas a deslocarem-se aos andares mais altos para irem ao seu médico de famíla.

Depois do médico as ter consultado, a Mãe da Marisa decidiu descer de elevador, para não ter que fustigar a Marisa a descer escadas, pois era muito pequenina e demorava muito tempo. O elevador chegou e, juntamente com uma senhora com um bébé ao colo e outras duas senhoras, elas entraram naquele elevador pequeno e a abarrotar.

O elevador começou a descer! Poucos segundos depois aconteceu o inesperado...o elevador parou entre dois andares! A Marisa era muito pequena, mas percebeu que havia qualquer coisa que não estava certa e começou a ficar com medo. As pessoas dentro do elevador começaram a ficar impacientes e a gritar por ajuda. Nisto, o elevador começou a funcionar, mas o estranho é que não conseguia parar num andar, andava para cima e para baixo com as pessoas lá dentro, mas sem parar...Aquilo ainda meteu mais medo à Marisa. A Mãe da Marisa, que também já estava muito nervosa, para resolver o problema, num dos momentos em que o elevador parou, enfiou o pé entre a abertura que existe entre o elevador e a parede do prédio. Foi um acto inconsequente pois podia ter acontecido o pior, mas felizmente ela só perdeu a sandália. Apesar disso, essa imagem ficou registada no cerebro da pequena Marisa, que nunca mais o esqueceu.

Minutos depois, o elevador lá parou num andar e as pessoas que se encontravam dentro puderam sair, mas não ganharam para o susto.

No caminho para casa, pelas ruas de Queluz grandes e com muito ar, a Marisa sentiu-se muito envergonhada por a Mãe ir só com uma sandália calçada e as pessoas olharem com cara de estranheza!

E é esta a história do meu trauma "elevadoriano"! A imagem do elevador pequeno, cheio de gente e quase sem ar e da minha Mãe sem sandália ainda hoje está presente na minha memória. Durante muito tempo tive muito medo de andar de elevadores e recusava-me a entrar num elevador. Só comecei a perder o medo, quando a minha Madrinha se mudou para um prédio onde o elevador era muito arejado e conforme descia ou subia via-se os andares a passar. Hoje já ando de elevador, mas sempre que ando em elevadores muito fechados ou muito exíguos faz-me muita impressão e fico sempre com medo que aconteça alguma coisa.

Ainda ontem à tarde, às 18h, a minha hora de sair do estágio, apanhei um susto por causa do elevador. Quando ele chegou ao meu piso, eu entrei e ouvi um barulho muito estranho, que me pareceu ser da porta a fechar. Como já estou escaldada e nunca esqueci o meu trauma, sai do elevador e, pela primeira vez, em 4 meses de estágio, desci dois pisos pelas escadas. Hoje quando cheguei ao estágio vi um papel na porta desse mesmo elevador "Avariado"! WoW! Parece que fiz bem em meter os pés ao caminho e deixar o elevador no 2 piso quietinho.

Tirando esse trauma, como diz o Malato, já fui muito feliz num elevador, principalmente o da minha faculdade. Tantas vezes que eu e as minhas amigas andámos naqueles elevadores. Tantas vezes que tinhamos aulas no piso 0 e para nos deslocarmos ao piso -1 iamos de elevador, mas iamos sempre visitar o piso 1,2 e 3! Tantas vezes que havia despiques do alarme dos elevadores. Tantas vezes que um amigo meu, quando andava no elevador cheio de raparigas e só ele como rapaz dizia "Pronto...podem-me violar!".

publicado por Marisa às 09:22
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 1 de Março de 2007

A Matemática afinal não é exacta...

Esta semana recebi um e-mail esquisito, que tem levado os meus neurónios, agora muito pouco dados ao raciocinio matemático, ao desespero. O e-mail chama-se "A Matemática afinal não é exacta" e apresenta um problema onde existe uma falha, que não dá para ver onde é.

Encaminhei o e-mail a várias pessoas, inclusive para a minha mãe que anda empenhadissima a tentar solucioná-lo, pois fala-me nele todos os dias e até já uso grão para dar um sentido mais real à coisa!

Vou postar o e-mail para ver se alguém me ajuda a resolve-lo.

"Eu, Tu e Ele... fomos comer ao restaurante e no final a conta deu 30,00 EUR. Fizemos o seguinte: cada um deu 10 euros...

Eu: 10,00 EUR
Tu: 10,00 EUR
Ele: 10,00 EUR

O empregado levou o dinheiro ate caixa e o dono do Restaurante disse:

 - Esses tres sao clientes antigos do restaurante, entao vou devolver-lhes 5,00 EUR e entregou ao empregado cinco moedas de 1,00EUR.

O empregado, muito esperto, fez o seguinte: ficou com 2,00 EUR para ele e deu 1,00 EUR a cada um de nos. No final ficou assim:

Eu: 10,00 EUR (-1,00 EUR que foi devolvido) = eu gastei 9,00
EUR.
Tu: 10,00 EUR (-1,00 EUR que foi devolvido) = tu gastaste 9,00
EUR.
Ele: 10,00 EUR (-1,00 EUR que foi devolvido) = ele gastou 9,00
EUR.

Entao se cada um de nos gastou 9,00 EUR, o que nos gastamos juntos foi 27,00 EUR. E se o empregado guardou 2,00 EUR para ele,temos:

Nos: 27,00 EUR
Empregado: 2,00 EUR
TOTAL: 29,00 EUR

Pergunta que se impõe: - Onde foi parar a outra moeda de 1,00 EUR?"

Mail mandado pela minha amiga Carina :)

Se alguém conseguir resolve-lo....

publicado por Marisa às 09:10
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito

*links