*mais sobre mim

*Quem está aqui??

online

*Junho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

*posts recentes

* Abril Sempre

*arquivos

* Junho 2010

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Janeiro 2007

* Dezembro 2006

* Novembro 2006

* Outubro 2006

*tags

* todas as tags

*pesquisar

 
blogs SAPO

*subscrever feeds

Quinta-feira, 26 de Abril de 2007

Abril Sempre

Ontem foi feriado. Quando um feriado se aproxima os pensamentos que surgem são os relativos a dia de folga, descanso e dormir até tarde. Ninguém ou poucas pessoas se lembram do verdadeiro significado do dia em questão, do por quê de se poder ficar em casa.

O que aconteceu no dia 25 de Abril de 1974? Um grupo de militares, descontentes com o sistema político em vigor em Portugal - ditadura-, decide fazer um golpe de Estado e mostrar aos portugueses o verdadeiro significado de liberdade. Nos dias que se seguiram surge nas ruas uma revolução que levou a saneamentos, nacionalizações, atentados bombistas e que se não tivesse sido travada a tempo, provavelmente a ditadura teria dado lugar ao comunismo. 

Onde estavam no dia 25 de Abril de 1974? Como diria a minha Mãe, "estavas metade no teu pai e metade em mim", porque só nasci 10 anos depois. Só sei que o meu Pai estava em Angola, a defender um país que não era o dele contra os verdadeiros "donos" desse país, e a minha Mãe trabalhava numa multinacional alemã, a ganhar dinheiro num país sem grandes oportunidades.

33 anos passados será que valeu a pena aquela ousadia de um grupo de militares? Na minha opinião: claro que valeu a pena. Tendo só 22 anos não posso falar com conhecimento de causa numa comparação entre os tempos de ditadura e os tempos de liberdade, mas pelo que estudei e pelo que oiço os meus pais contarem, acho que se não fosse a ousadia daqueles homens viveriamos num país muito pior. Portugal pode não ser um exemplo de produtividade, de valores nacionais a seguir, de uma política inspiradora, mas é o nosso país, é o único que temos e sempre é melhor viver num país assim, com liberdade a vários níveis, do que num país cinzentão, rural e com pessoas analfabetas e sem informação que não sabiam nada do que passava no seu próprio país.

Como já disse, não posso falar do que não vivi, mas tenho quase a ceretza de que prefiro viver no Portugal de hoje em dia em que:

*há liberdade de expressão

*há liberdade de imprensa

*há alguém que na Assembleia da República mal ou bem nos representa

*as mulheres tem direito de voto e não são propriedade privada do seu marido: tem opinião e qierer próprio

*há educação acessível à maior parte das pessoas

*and so on...

"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena" Fernando Pessoa

 

Como nota final...não podia deixar de falar da Pontinha, lugar onde vivo e que teve uma pequena participação no golpe de estado do 25 de Abril, pois foi na Pontinha, mais propriamente no Quartel do Regimento de Engenharia 1, que estava situado o Posto de Comando do MAF. Há 8 anos, durante a comemoração dos 25 anos do 25 de Abril, eu e as minhas amigas, através da nossa escola preparatória, tivemos oportunidade de ir visitar o quartel e o lugar exacto onde se situou o posto de comando.

publicado por Marisa às 10:37
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|

*links