*mais sobre mim

*Quem está aqui??

online

*Junho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

*posts recentes

* Acordar o blog adormecido...

* Hot Hot Hot

* ...

* A Sombra do Vento

* Há coisas que nunca mudam...

* Porque é que os jogadores...

* Como ser um verdadeiro ch...

* Novo morador

* Gata preta, gato branco

* Blogodependente

*arquivos

* Junho 2010

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Janeiro 2007

* Dezembro 2006

* Novembro 2006

* Outubro 2006

*tags

* todas as tags

*pesquisar

 
blogs SAPO

*subscrever feeds

Terça-feira, 30 de Janeiro de 2007

ICor 13, 4-8

Tenho andado a vasculhar o meu blog e descobri que isto tem montes de funções que eu ainda não utilizei. Por isso, hoje, decidi fazer um post extra como teste. 1, 2, 3 Teste!! O meu objectivo é, juntamente com o texto, postar uma imagem alusiva ao tema. Espero conseguir e que fique bonito!

Este sábado descobri um texto, uma pequena passagem na Biblia sobre o Amor. Mal a li, soube logo que tinha de a por aqui. É uma passagem muito bonita, que tenta descrever o Amor. Descreve o Amor de uma forma geral, não somente o Amor que pode existir entre um homem e uma mulher, mas também o Amor pelos pais, amigos, familia, cão, gato..

Espero que gostem! Enjoy it!

"O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o
amor não se vangloria, não se ensoberbece.
Não se porta inconvenientemente, não busca os seus
próprios interesses, não se irrita,
não suspeita mal.
Não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a
verdade.
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor jamais acaba"

                                         

publicado por Marisa às 15:23
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Arrumadores de carros

Desde que sou uma rapariga encartada que comecei a prestar mais atenção a uma espécie de casta, relativamente recente, que existe na nossa sociedade: os arrumadores de carros. Este tipo de pessoas são facilmente reconhecidas ao longe. Habitualmente encontram-se perto de grandes centros comerciais, parques de estacionamento ou em ruas de grande movimento; usam roupas tendencialmente escuras, um pouco sujas; também usam boné ou, no Inverno, gorro; usam o cabelo grande e não desfazem a barba (adoro um rapaz a dizer isto); e na mão costumam ter algo, normalmente um jornal ou, até mesmo, um pau. Pela descrição, e recorrendo ao sistema de castas Indiano, podem ser designados pelos Párias da sociedade portuguesa, porque, muitas vezes, são pessoas excluídas socialmente e ninguém gosta deles e os pode ver à frente, sendo assim são intocáveis.

Confesso que, mesmo tendo carta à um ano e quase um mês, a minha habilidade para estacionar não é a melhor. Se houver muito espaço, nenhum carro ao lado do sitio onde pretendo estacionar e se estacionar de frente, ai até não me saio mal. O problema é mesmo estacionar de traseira em espinha, em estacionamento paralelo e em lugares muito exíguos. Por isso quando obrigatoriamente tenho que estacionar em sitios destes convêm ter sempre alguém a me ajudar, que normalmente são os meus pais ou as minhas amigas. Sendo assim não preciso de mais ajuda nenhuma, não preciso de nenhum arrumador de carros. Ok, algumas vezes eles até ajudam, pois indicam um local para estacionar, quando estamos quase a desesperar por um, mas, em outras ocasiões, já encontramos um lugar e estamos quase a finalizar a manobra, quando se ouve uma voz vinda de algures. Isto aconteceu-me este fim de semana. Fui beber chocolate quente (Ui ca bom!) com as minhas amigas, a Caneças. O estacionamento é muito mau, porque quase não há lugares e os que há são muito dificeis. Se eu estivesse sozinha tinha ido estacionar a um lugar bem largo a 500 metros dali, mas, como parecia mal já que levava acompanhantes, eles lá me ajudaram. Quando estou eu a fazer marcha atrás devagarinho oiço uma voz do lado de fora "Venha mais! Pode vir! Vá...Vá! Chega!! Não mexas mais! Não mexas mais!". Se eu ainda estivesse no inicio teria sido bom, mas não, já estava mesmo acabar. Como o senhor foi simpático em dizer o resultado do jogo do Benfica (blargh) por iniciativa própria, como estava um frio do caraças e eu não queria que ele riscasse o meu Frederico dei-lhe uma moedinha, mas se não merecia...

Quanto aos arrumadores de carros do parque de estacionamento grande da Pontinha, também tenho histórias engraçadas com eles. No Verão, estava eu a fazer uma força descomunal para rodar o volante do meu Boguinhas para sair de marcha atras de um luga quando oiço assim "A menina parece que está a conduzir um tanque da tropa!!". E por acaso até pareço, já que o meu Boguinhas tem "quase semi direcção assistida", segundo o meu pai. A última engraçada, ou não, lá no parque foi antes do jantar dos meus anos. Já tinha eu estacionado, quando chega lá um arrumador a dizer que estava bom (até ai eu já sabia). Ai não lhe dei grande recompensa, já que o trabalho tinha sido todo feito por mim. O homem virou-se para mim "Só isto?!?!?". Grande lata! Mas eu também lhe disse "Sabe...é que eu tenho que poupar dinheiro para por gasolina no carro, tá cara!". E, por acaso, está cara, mas é o meu pai que a paga.

As autarquias locais podiam ser umas simpáticas e podiam convidar os senhores arrumadores de carro para serem empregados mesmo a sério. Assim, eles tinham um ordenado e ainda tomavam conta das ruas das cidades.

publicado por Marisa às 14:17
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Segunda-feira, 29 de Janeiro de 2007

As coisas boas da vida!

Como não tenho nenhum tema em especial para postar hoje vou por aqui um texto que me mandaram pelo orkut. Como o texto foi mandado por uma "amiga" brasileira, leiam-no com sotaque para soar melhor :)

Só mais uma coisinha...ONTEM NEVOU, MAS NÃO NEVOU NA MINHA CASA!! :( A minha madrinha que mora a 3km, mais coisa menos coisa, de mim telefonou perto das 11h da manhã a dizer que estava lá a nevar muito. Eu e os meus levantamo-nos logo para ir à varanda. A minha mãe e o meu pai dizem que ainda viram uns farrapinhos de neve, mas eu, como preciso de cerca de 5 minutos para me ambientar à claridade, não consegui ver NADA, pois mais conseguia abrir os olhos. Fiquei triste! Também queria ver neve...

Agora aqui fica o texto....

As coisa boas da vida!!

Se apaixonar.
Rir até sentir o rosto doer.
Um banho quente.
Um olhar especial.
Receber cartas, e-mail, scraps
Dirigir numa estrada bonita.
Escutar sua música preferida.
Um banho de espuma.
Uma boa conversa.
Praia.
Rir de você mesmo. Rir sem absolutamente razão nenhuma.
Ter alguém pra te dizer que você que é bonita.
Rir por alguma coisa que você lembrou.
Os amigos.
Ouvir acidentalmente alguém falar bem de você.
Fazer novos amigos ou ficar junto dos velhos.
Bons sonhos.
Viajar.
Dançar.
Beijar na boca.
Passar o tempo com os amigos.
Ver os amigos e rir... rir muito!
Segurar as mãos de um amigo.
Descobrir que o amor é eterno e incondicional...
Abraçar a pessoa que você ama.
Ver o nascer do sol.
Levantar todo dia e agradecer a Deus por outro lindo dia!
Sorria e aproveite as coisas boas da vida!

Subescrevo a maior parte das coisas.

publicado por Marisa às 09:30
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 28 de Janeiro de 2007

:'(

Um ano. O tempo passa, mas as lembranças ficam e a amizade não morre no meu coração...

Neste momento, esta frase no meu status do msn é a minha forma de te prestar uma pequena homenagem. 

São muitas as vezes que eu pensei em ti durante este ano, mas durante estes dias, com o aproximar da data, lembrei-me muito muito de ti.

Fez um ano que eu sai da aula mais cedo porque tinha falar contigo naquele dia sobre uma coisa tão banal como a minha viagem de finalistas. Falamos normalmente. Disseste para eu ir essa noite a tua casa. Eu não quis, tinha que estudar. Combinei para quinta. Foi a última vez que te vi...

Fez um ano que ao fim da tarde vi-te no msn. Tentei falar contigo, mas não respondeste. À noite, ouvi um carro, pensei que vinhas a chegar de alguma saída, mas afinal já estavas morta...

Vai fazer um ano que tive o pior acordar da minha vida. Não quis acreditar. Não podia ser verdade. A minha amiga do lado tinha morrido... 

Vai fazer um ano que acordei de um pesadelo. Caí na realidade. Chorei tudo o que estava engasgado na garganta, tudo o que até ai não tinha conseguido chorar. Não consegui ver-te..desculpa...

Vai fazer um ano que foste para a tua última morada, apesar de eu achar que aquela não é a última, nem a tua única morada. Tens muitas moradas. Tens tantas moradas, quandos os corações das pessoas que gostam e lembram-se de ti. Desculpa por não me ter despedido de ti. Não consegui...Prefiro lembrar-me de como tu estavas naquela quinta e me disseste "Nunca bebas água na Tunisia", lembrar-me de como eras quando eramos pequenas, lembrar-me de como eras quando brincavamos na nossa rua, lembrar-me de como eras quando falavamos as duas...

Já passou um ano. Tenho muitas saudades de ti gaja...

publicado por Marisa às 01:10
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 26 de Janeiro de 2007

Será só impressão minha??

/Inicio de agradecimentos/

Obrigada minha meia dúzia de leitores assíduos pelas palavras de apoio nos comentários deixados aqui no blog ou memos sem ser em comentários, relativos ao último post. Informo que já estou mais animadita. Como se costuma dizer, dão forte, mas passa rápido, principalmente depois de já ter comido fatias de 3 bolos de anivesário esta semana :) Aqui no meu estágio há sempre alguém que faz anos e, para grande satisfação minha, o bolo é sempre de chocolate. Vá...podem se babar enquanto pensam que gostariam de estagiar no mesmo sitio que eu. 

/Fim de agradecimentos/ - (Co-Imperador esta é tua :0) )

Será que é impressão minha ou as ruas de Lisboa andam mesmo infestadas, no bom sentido claro, de senhores agentes de autoridade? É raro o dia em que eu não veja um carro da Policia Municipal, carrinhas da GNR ou batedores nas ruas de Lisboa e arredores. Parece que o Governo anda empenhado a proteger a bela capital, deste lindo país que é Portugal, de perigosos ladrões, de automobilistas com a mania de serem pilotos de Formula 1 e dos inúmeros mercados paralelos que são as feiras, onde se vende roupa de marca e DVD's/CD's novinhos em folha, por uma ninharia.

No meu percurso casa-estágio/estágio-casa, tanto de manhã, como ao fim da tarde, não só passo por um dos novos radares, o da 2º Circular, como por vezes por uma operação STOP. Depois de tantas vezes passar por operações STOP nestes últimos tempos, alguma vez tinha que parar numa. O bom é que não era eu que ia a conduzir, mas sim o meu pai, senão teria ficado nervossima por ser a minha primeira vez.

No fim do ano passado, num belo fim de tarde de chuva, o meu lindo Fiesta apagou-se, literalmente, numa rua de Benfica. Com rádio, souffage, luzes, limpa para-brisas, tudo ligado, o meu boguinhas ficou sem bateria. Vi o caso mal parado. Imaginei-me a empurrar o carro debaixo de chuva. A minha sorte é que o meu Pai, mesmo já com 55 anos, está em optima forma e percebe do assunto, engatou a segunda, saiu fora do carro, começou a correr e o carro lá pegou. Depois disso e de recarregar a bateria, o meu pai, agora ao fim do dia só anda de minimos ligados. Quando, a caminho da Pontinha, viu a operação STOP ligou os médios, assim de repente, mesmo na cara do senhor agente da autoridade, o senhor, claro, mandou-nos enconstar...Mas correu tudo bem! O meu pai só mostrou os documentos, que estavam todos em ordem, e fez o Teste de Alcoolemia de soprar o balão, uma inovação para o meu pai. O resultado foi 0. O senhor agente da autoridade agradeceu e nos seguimos o nosso caminho.

Com tantos senhores de fato azul por ai, acautelem-se e façam como eu: bebam Iced Tea nos jantares, não pisem muito o acelerador e ponham 1 cruzinha no nó do dedos (nas falangetas) que é para se lembrarem de ligar as luzes...

publicado por Marisa às 14:53
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 23 de Janeiro de 2007

Caminhos

Sinto-me triste...

Até uma rapariga como eu, que vê sempre o lado positivo das coisas, tem certos dias e momentos mais tristes.

Triste não é bem a palavra, sinto-me baralhada, sinto que não estou a conseguir separar bem as àguas como queria e pensei que ia conseguir e estou chateada por isso, o que me deixa triste. Sempre fui uma rapariga um pouco indecisa é certo, o que me faz pensar muito bem ou como se costuma dizer, pensar duas vezes, antes de tomar uma decisão. Mas quando tomo uma  decisão é para valer, para ir até ao fim...mas, desta vez, está a custar.

No percurso da vida, encontrei uma encruzilhada: o caminho da esquerda pareceu-me bom, mas ao reparar bem verifiquei que havia umas pedras um pouco mais adiante; o caminho da direita, numa primeira olhadela, era mau, tinha pedras, mas quando olhei melhor, vi que, lá ao fundo, a parte pedregosa acabava e depois o caminho era bom, com muitas flores e passarinhos a cantar. Fiquei indecisa, mas depois de muito pensar escolhi o caminho da direita. Neste momento, estou a atravessar a parte pedregosa, estou com dificuldades em não magoar os pés, olho muitas vezes para trás a pensar porque é que não escolhi o outro caminho e apetece-me voltar atras, pelo menos um bocadinho, só para descansar a dor nos pés. Hoje, especialmente, pisei uma pedra que me fez uma ferida... Resta-me, por enquanto, a consolação de que fiz a melhor escolha e que basta andar mais um pouco e fica tudo melhor e mais alegre... 

publicado por Marisa às 15:31
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2007

Chinesices

Sábado à noite foi o jantar de aniversário de uma amiga minha, da Cristina Tomé. (Já agora, e mais uma vez, PARABÉNS TOMÉ!!!) A comemoração com a grande família ISCSPIANA foi num restaurante chinês no Cacém. Se eu me lembrasse de como se escreve o nome do restaurante até escrevia aqui, mas a única informação sobre o nome do restaurante que posso fornecer é que faz lembrar alguém quando diz "XIUUUUUUUU!!"

Confesso que desde a primeira vez que fui a um restaurante chinês fiquei grande fan. Para ir todos os dias ou todas as semanas comer qualquer coisa também não, também enjoa, mas, de vez em quando, sabe bem. Não sou de variar muito nas comidas, porque tenho medo de pedir e depois não gostar, mas gosto muito de comer uma galinha com amêndoas e um porco agri-doce, sem falar, obviamente, nos crepes. Ai os crepes chineses...!!

O pior foi aquele dia fatidico, 30 de Março (lembro-me porque foi no dia da Festa da Primavera no ISCSP), em que os canais de televisão divulgaram imagens sobre uma inspecção feita a restaurantes chineses. Aquilo era uma total nojice! Lembro-me de ver um balde com um liquido, que deveria ser liquido, mas estava todo coalhado...blargh...só espero que aquilo não seja o molho agri-doce que eu tanto gosto.

Durante o jantar fartei-me de rir, não só com as piadas do pessoal, mas também de ouvir um chinês a dizer "Pla quem é a Tota-tola?!". Ok, se calhar tou no gozo, mas teve graça quando ouvi. Não tenho nada contra os chineses. Acho que têm tanto direito de estar em Portugal como outros imigrantes. Se eles têm arrasado certo tipo de comércio, as chamadas "Lojas dos 300", é porque alguém fez a lei que diz que eles não pagarem impostos durante os primeiros 5 anos e por isso podem vender as coisas tão baratas, o que dá muito jeito, principalmente, as luzes para enfeitar as casas no Natal!

Para além daquelas coisas tipo esforovite que eles põe em cima da mesa como aperitivo, a única coisa que não gosto neles é serem tão desconfiados. Penso que não seja impressão minha, mas cada vez que eu entro numa "Loja dos Chineses" está sempre alguém a vigiar-nos. Aquelas pessoas estão lá, porque precisam de ganhar dinheiro, mas deve ser cansativo estar um dia inteiro em pé, sem fazer nada e a vigiar clientes.

Agora uma dúvida existencial que surgiu a mim e à minha amiga Claudia durante uma conversa no restaurante chinês, em que não podemos posar os braços nas costas das cadeiras: Porque é que os restaurantes chineses têm sempre cadeiras com costas altas???

publicado por Marisa às 13:50
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 19 de Janeiro de 2007

Dolce Vita Tejo

Dolce Vita Tejo, o maior centro comercial de Portugal e, pelo que já ouvi dizer, o maior centro comercial da Europa! E fica mesmo do outro lado da estrada principal junto ao meu bairro.

Lembro-me de ser pequena, olhar pela janela da minha cozinha e pensar que um dia gostaria de subir até ao cimo do monte que via. Achava uma coisa um pouco ímpossivel, porque parecia-me muito longe, tinha que atravessar um vale inteiro. Hoje esse vale é o estaleiro de uma das maiores obras em curso em Portugal! Ao principio, nas redondezas, ninguém sabia o que iria ser aquilo e, até mesmo, no dia em que me pareceu que um camião carregado de fogo de artificio estava a explodir na estrada principal, pois era um barulho ensurdecedor e só via descargas de fogo de artificio por cima da casa da minha vizinha de trás, nínguém soube o que era aquilo. Só depois, é que se ouviu falar que ali iria ser construído o maior centro comecial da Europa e o fogo de artificio era para comemorar o lançamento da primeira pedra. Fiquei triste, porque ninguém me convidou para a festa, e eu ali tão perto :P

Ontem à noite, no Telejornal, anunciaram que a obra, neste momento, está embargada, porque, ai aquelas cabeças, esqueceram-se de fazer um estudo qualque hidrográfico da área, que por acaso é de cheia e fica perto de algumas ribeiras. A mim, não me parece que a obra esteja embargada, porque quase todos os dias, quando saio de casa com o meu pai, vejo montes de senhores das obras a sair dos transportes públicos e a dirigirem-se à obra. Eu penso que eles vão para as obras, porque como em Portugal, os portugueses não gostam de trabalhar nas obras, só no estrangeiro, cá, quem faz as nossas obras são os imigrantes dos PALOP's ou da Europa do Leste, e de manhã vê-se muitos senhores desses a atravessar a estrada.

Através do Telejornal, também fiquei a saber um dados sobre o novo centro comercial. (Vamos lá ver se eu ainda me lembro dos números. Se não souber já não posso ser gestora quando for grande!). Dolce Vita Tejo é o nome do maior centro comercial do país e, quiça, da Europa e pertence ao Grupo Amorim e Auchan. Terá 6 pisos, 300 lojas e 9000 lugares de estacionamento.

Parece-me que vai ser uma coisa mesmo em grande e será mesmo ao lado da minha casa. Só espero que a minha zona, da qual me orgulho muito por ser muito calminha e que parece ser o campo, não se transforme num pandemónio de consumistas ferranhos...

Já sabem pessoal, quando combinarmos ir comer um gelado ou ir ao cinema, o encontro é na minha casa!

publicado por Marisa às 08:56
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Terça-feira, 16 de Janeiro de 2007

Vidas...

Hoje acordei com a dificil tarefa de fazer chichi para dentro de um tubinho minúsculo (não gosto da palavra urinar, fazer chichi é mais familiar :P ). Depois de afinada a pontaria, feito o delicado serviço e lavadas às mãos, aprontei-me para ir retirar sangue para as análises habituais de rotina. Apesar de já ter 22 anos, de ser uma mulher como a minha Mãe diz, não gosto nada de tirar sangue e fico sempre muito inquieta antes de entrar para a salinha. Mesmo estando habituada desde pequena a levar injecções, ora porque ficava a soro no hospital depois de uma crise de falta de ar, ora para fazer análises, não consigo deixar de pensar que me vão enfiar um agulha no braço e que vai doer. O mais engraçado é que a dor é minima, e eu sei disso, mas penso sempre que vai doer muito e depois vou ficar todo o dia com o braço dorido. Como disse à enfemeira, o meu problema é estar traumatizada. Houve duas situações de injecções que me marcaram muito. A primeira, foi pouco depois de ter tido varicela, tinha eu 3 anos, o médico mandou-me ir a uma clinica para tirar sangue, sangue das pontas dos dedos!!!! Marcou-me tanto pela negativa, que apesar de só ter 3 anos, tenho memória disso. Ver aquelas pessoas de bata branca, em cima de mim e a expremerem-me os dedos foi muito martirizante. A segunda, foi quando tive de levar um conjunto de 5 (axo) injecções de penincilina numa parte muito dolorosa e desnudada: o rabo! A primeira injecção foi tão forte que na manhã seguinte nem andava. As outras que se seguiram também foram muito más, até houve uma que esperniei, logo eu, que sempre muito calminha e caladinha.

Se acordei pieguinhas e cheia de mimo, isto desapareceu-me mal entrei na clinica. Estava lá um menino, talvez com 6 ou 7 anos, sem cabelo e com uma cicatriz na cabeça...Cada pessoa tem os seus problemas, as suas dores e os seus caprichos e todos nós achamos que as nossos são sempre maiores, mais importantes, mais dolorosos, mais preocupantes que os das outras pessoas. Isto porque são os NOSSOS problemas, do NOSSO mundo e porque olhamos de mais para o nosso próprio umbigo! Com isto esquecemo-nos de que à nossa volta há problemas bem mais preocupantes e dolorosos que os nossos. Ao olhar para o menino pensei "Bolas...estou aqui eu toda pieguinhas porque vou ser picada para me retirarem um pouco de sangue, enquanto que ele está ali sem cabelo e, provavelmente, farto de ser picado e sabe-se mais lá o quê!". Não sei qual seria a doença dele, mas, concerteza, deve ter sido alguma coisa grave...Tão pequenino e já sabe o que é sofrer...Espero que ele se cure!

publicado por Marisa às 09:51
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Segunda-feira, 15 de Janeiro de 2007

Grande Portugueses...ou não!

Antes de passar ao tema do post queria agradecer a alguém, que eu não faço a mínima ideia quem seja, pois não sei como as coisas funcionam, por ter posto o meu blog nos destaques do Sapo. Fiquei muito surpreendida e orgulhosa, claro! Também quero agradecer à minha meia dúzia de leitores habituais, alguns por iniciativa própria, outros conseguidos através de chantagem  Sem vocês o meu blog não seria nada! Esta frase é mais batida que as coisas batidas e soa mal, mas até é verdade....

Pondo de lado as lamechiches...

Este fim de semana à noite foi divulgado, oficialmente, a lista dos Grandes Portugueses. Depois de quase 3 meses em votações e de uma adesão por parte dos portugueses superior à dos ingleses, que foram os criadores deste formato, finalmente ficou-se a saber quais as posições das personalidades na lista.

Como tinha votado, assisti com todo o entusiasmo ao programa. Na lista dos 10 Mais penso que não houve grandes surpresas. Figuras como Salazar, Vasco da Gama, Camões e Marquês de Pombal por uns motivos ou por outros, era algo que eu já esperava. Só fiquei surpresa pela não inclusão da Amália, já que foi uma mulher que levou o nome de Portugal aos quatro cantos do mundo e, também, por ser talvez a mulher portuguesa mais conhecida e, sendo assim, é uma lista um pouco machista, já que não há nenhuma mulher nos 10 Mais.

Fora do Top10, apareceram nomes muito conhecidos: navegadores, escritores, políticos, futebolistas, dirigentes desportivos, actores...Também não foi novidade para ninguém nomes como Pinto da Costa, José Mourinho, Eusébio e Figo terem surgido perto do Top10, já que Portugal é um país de muitos adeptos de futebol. Novidade, para mim, foi o aparecimento do actor Hélio Pestana e de uma ministra da Cultura (ou seria Educação) do governo de Santana Lopes. Quanto ao Hélio Pestana, é óbvio que quem votou nele foram as expectadoras mais efusivas dos Morangos com Açucar ou entao os membros de algum clube de fans. Quanto à senhora ex-ministra, não sei...talvez tenha sido a familia, amigos, é normal!

O momento mais engraçado da lista foi quando mostraram que o Cristiano Ronaldo era o nr. 69! Tanto sem significados e tinha logo que sair ao Cristiano Ronaldo o 69. Já basta os jornais e revistas cor de rosa que lhe atribuem casos e perfomances a nível sexual boas, também um programa familia como Os Grandes Portugueses tinha lhe dar o número 69!!!

Como tinha mencionado um pouco atrás, eu também votei. Como leitora assídua (agora nem tanto...) e fan do Eça de Queiroz e dos seus livros, tinha que votar nele. Diferentemente dos políticos que estão no Top10, Eça não melhorou as condições financeiras, económicas ou sociais do Portugal do seu tempo, mas a nível da escrita e da literatura ele foi inovador, ao tratar nos seus livros de temas tabus. Estava com esperança que o meu preferido ficasse no Top10, mas como muita pena minha não. Ficou no número 22, que não deixa de ser um lugar perto do Top10 e um número muito bonito!

Não percam os próximos episódios, porque nós....também não!!!

publicado por Marisa às 13:27
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

*links