*mais sobre mim

*Quem está aqui??

online

*Junho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

*posts recentes

* Acordar o blog adormecido...

* Hot Hot Hot

* ...

* A Sombra do Vento

* Há coisas que nunca mudam...

* Porque é que os jogadores...

* Como ser um verdadeiro ch...

* Novo morador

* Gata preta, gato branco

* Blogodependente

*arquivos

* Junho 2010

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Janeiro 2007

* Dezembro 2006

* Novembro 2006

* Outubro 2006

*tags

* todas as tags

*pesquisar

 
blogs SAPO

*subscrever feeds

Sexta-feira, 2 de Março de 2007

Elevador, o trauma ultrapassado (ou não...)

Vou contar uma história.

Era uma vez uma menina chamada Marisa, que morava em Queluz e contava com 3 ou 4 anos de existência. Ela vivia feliz, sem preocupações e sem traumas!

Um belo dia, a Mãe da Marisa levantou-a cedo da cama e levou-a até ao Centro de Saúde de Queluz para irem ao médico. O Centro de Saúde de Queluz era um prédio, não muito recente e que tinha um elevador que ajudava as pessoas a deslocarem-se aos andares mais altos para irem ao seu médico de famíla.

Depois do médico as ter consultado, a Mãe da Marisa decidiu descer de elevador, para não ter que fustigar a Marisa a descer escadas, pois era muito pequenina e demorava muito tempo. O elevador chegou e, juntamente com uma senhora com um bébé ao colo e outras duas senhoras, elas entraram naquele elevador pequeno e a abarrotar.

O elevador começou a descer! Poucos segundos depois aconteceu o inesperado...o elevador parou entre dois andares! A Marisa era muito pequena, mas percebeu que havia qualquer coisa que não estava certa e começou a ficar com medo. As pessoas dentro do elevador começaram a ficar impacientes e a gritar por ajuda. Nisto, o elevador começou a funcionar, mas o estranho é que não conseguia parar num andar, andava para cima e para baixo com as pessoas lá dentro, mas sem parar...Aquilo ainda meteu mais medo à Marisa. A Mãe da Marisa, que também já estava muito nervosa, para resolver o problema, num dos momentos em que o elevador parou, enfiou o pé entre a abertura que existe entre o elevador e a parede do prédio. Foi um acto inconsequente pois podia ter acontecido o pior, mas felizmente ela só perdeu a sandália. Apesar disso, essa imagem ficou registada no cerebro da pequena Marisa, que nunca mais o esqueceu.

Minutos depois, o elevador lá parou num andar e as pessoas que se encontravam dentro puderam sair, mas não ganharam para o susto.

No caminho para casa, pelas ruas de Queluz grandes e com muito ar, a Marisa sentiu-se muito envergonhada por a Mãe ir só com uma sandália calçada e as pessoas olharem com cara de estranheza!

E é esta a história do meu trauma "elevadoriano"! A imagem do elevador pequeno, cheio de gente e quase sem ar e da minha Mãe sem sandália ainda hoje está presente na minha memória. Durante muito tempo tive muito medo de andar de elevadores e recusava-me a entrar num elevador. Só comecei a perder o medo, quando a minha Madrinha se mudou para um prédio onde o elevador era muito arejado e conforme descia ou subia via-se os andares a passar. Hoje já ando de elevador, mas sempre que ando em elevadores muito fechados ou muito exíguos faz-me muita impressão e fico sempre com medo que aconteça alguma coisa.

Ainda ontem à tarde, às 18h, a minha hora de sair do estágio, apanhei um susto por causa do elevador. Quando ele chegou ao meu piso, eu entrei e ouvi um barulho muito estranho, que me pareceu ser da porta a fechar. Como já estou escaldada e nunca esqueci o meu trauma, sai do elevador e, pela primeira vez, em 4 meses de estágio, desci dois pisos pelas escadas. Hoje quando cheguei ao estágio vi um papel na porta desse mesmo elevador "Avariado"! WoW! Parece que fiz bem em meter os pés ao caminho e deixar o elevador no 2 piso quietinho.

Tirando esse trauma, como diz o Malato, já fui muito feliz num elevador, principalmente o da minha faculdade. Tantas vezes que eu e as minhas amigas andámos naqueles elevadores. Tantas vezes que tinhamos aulas no piso 0 e para nos deslocarmos ao piso -1 iamos de elevador, mas iamos sempre visitar o piso 1,2 e 3! Tantas vezes que havia despiques do alarme dos elevadores. Tantas vezes que um amigo meu, quando andava no elevador cheio de raparigas e só ele como rapaz dizia "Pronto...podem-me violar!".

publicado por Marisa às 09:22
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De ich a 6 de Março de 2007 às 10:50
Ai tens trauma de elevador, ein? Quando formos ver o Resident Evil, há lá uma cena especialmente indicada para ti ;)
Lamento informar-te, mas os elevadores da faculdade estão agora piores que nunca, avariam quase todas as semanas... deve ter sido consequência desses "despiques" do alarme provocados pelas meninas do ano passado!
Já agora, quem era o pobre coitado que dizia isso??
De rICKY s a 6 de Março de 2007 às 13:32
Mas quem é esta menina chamada Marisa????.....hehehehehe, pra proxima usa as ESCADAS!!!!:)

Comentar post

*links